ABCD

Open Banking: ABCD segue atuando pelos interesses das fintechs de crédito

Share:

Na linha de frente pela implementação do Open Banking, ABCD segue atuando ativamente pelos interesses das fintechs de crédito

Sistema bancário aberto sempre foi principal bandeira da entidade 

São Paulo, 7 de julho de 2020: Atuando ativamente desde as primeiras discussões que buscavam viabilizar o Open Banking no Brasil, a Associação Brasileira de Crédito Digital – ABCD, que representa as fintechs de crédito, segue acompanhando as etapas de implementação do sistema bancário aberto. Regulamentado em maio, por meio da Resolução Conjunta nº 1/2020, ele tem início previsto para 30 de novembro deste ano e estimativa de conclusão em outubro de 2021.

A associação, que lidera os debates sobre o tema junto aos reguladores, também fez parte do Grupo de Trabalho (GT) criado em março pelo Banco Central, com o objetivo de propor a estrutura responsável pela governança do Open Banking. No GT, são avaliadas as condições necessárias para a implementação do sistema de forma homogênea, rápida e segura, capaz de garantir a sustentabilidade e eficiência do modelo no longo prazo, dentre outros importantes assuntos.

Por seu perfil e sua participação ativa nas discussões em torno do sistema bancário aberto, a ABCD se consolida como potencial representante das fintechs de crédito (SCDs e SEPs) no conselho deliberativo da estrutura de governança do Open Banking, além de continuar representando as fintechs de crédito em seus respectivos interesses, contribuindo com o ecossistema de crédito brasileiro.

Desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus, a associação tem trabalhado para que as fintechs se tornem um canal de distribuição do crédito destinado a mitigar os efeitos da crise na economia. Isso porque, na visão da ABCD, por já terem nascidas no meio digital, as fintechs são o canal essencial para que os recursos cheguem à ponta, auxiliando na capilaridade do crédito.

“A ABCD nasceu em 2016 com o objetivo de coordenar os esforços das fintechs de crédito em relação aos desafios do setor. Desde o início, entendemos que o mercado de crédito brasileiro demandava mais competição, inovação e acessibilidade, com melhores produtos e serviços. Por isso, nosso empenho em atuar fortemente no processo de regulamentação e implementação do Open Banking. Seguimos representando as fintechs de crédito por meio do nosso engajamento com os reguladores em prol de um sistema financeiro mais inteligente e inclusivo”, afirma Rafael Pereira, presidente da ABCD.

Relacionados

Cadastro Positivo
Cadastro Positivo pode injetar até R$ 48 bi na economia baiana

Cadastro Positivo pode injetar até R$ 48 bilhões na economia baiana e beneficiar...

×

Olá!

Clique em nosso atendimento abaixo para bater um papo no WhatsApp ou envie um e-mail para [email protected]

× Como posso te ajudar?