ADT - Segurança

ADT: Oito hábitos e medidas de segurança que não são eficazes

Share:

 

Cadeados, correntes e cercas não são um problema para invasores

São Paulo, 25 de junho de 2019Em 2019, apenas no estado de São Paulo, mais de 340 mil furtos e roubos foram registrados entre os meses de janeiro e abril. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública. Em relação ao mesmo período de 2018, os furtos cresceram mais de 2%.

Segundo a central de controle da ADT, maior empresa de monitoramento de alarme do mundo, os horários mais comuns de invasões a residências e estabelecimentos são em até duas horas após os moradores ou funcionários deixarem o local. Em feriados prolongados e períodos de férias escolares, essas ocorrências tendem a aumentar 15%.

Para Robert Wagner dos Santos, especialista em segurança da empresa, devido a hábitos e medidas ineficazes de segurança, apenas 12% das vítimas conseguem ajuda após uma abordagem. “Muitas pessoas não sabem, mas obstáculos como cadeados, correntes e cercas não são um problema para invasores”, explica. “Os bandidos têm métodos para inibir o efeito de grande parte dessas medidas”, completa.

Pensando nisso, a ADT listou as principais falhas dos métodos de segurança mais comuns entre moradores e comerciantes.

  1. Fechaduras: os invasores conseguem quebrar fechaduras com uma ferramenta e abafar o barulho com uma camiseta, por exemplo. O mesmo acontece em portões e janelas. Segundo a ADT, um bandido demora apenas dez segundos para invadir um imóvel por uma porta comum ou por uma janela com veneziana. O acesso mais usado para invasões são as portas;

  2. Cadeados e correntes: os invasores também quebram cadeados e correntes com  ferramentas. Segundo a ADT, eles demoram apenas dez segundos para cortar uma corrente presa a algum portão;

  3. Cercas: os bandidos podem atravessar por uma cerca elétrica, de caco de vidro ou de arame. Além disso, em muitos casos, os invasores ignoram as cercas e entram pelo próprio portão;

  4. Câmeras: as câmeras não evitam uma invasão, apenas registram a ocorrência e não impedem prejuízos;

  5. Cachorros: os bandidos utilizam vários métodos para lidar com um cachorro vigia. O invasor pode subir no muro, abrir o portão e deixar o cachorro fugir, ou até mesmo ganhar a confiança do animal com comidas e petiscos. O animal também corre o risco de ser envenenado;

  6. Grades: se as janelas do local possuem grades, o bandido opta por entrar pelas portas. Mas alguns invasores podem utilizar ferramentas, como o macaco de um veículo, para retirar as grades com ferramentas;

  7. Vigias de rua: o custo é alto e o vigia não fica 24h em um mesmo local. Além disso, os bandidos podem abordar o vigia ou elaborar as estratégias de invasão de acordo com os sinais do segurança – como os apitos de aviso;

  8. Vizinhos: os vizinhos podem se tornar aliados, mas também não estão disponíveis o tempo todo;

VEJA TAMBÉM:  Mês do trabalhador: Oito dicas de segurança ao entrar e sair do trabalho

De acordo com Santos, a solução de segurança mais indicada para residências e comércios é o alarme monitorado, que reduz invasões em até 94%. O recurso consiste na instalação de sensores em acessos e ambientes vulneráveis. “Se houver uma invasão, o painel de alarme envia um sinal de alerta para a central de monitoramento, que fica disponível 24h”, explica. “Em seguida, entra-se em contato com os responsáveis e, se necessário, com as autoridades”, destaca.

Além disso, um eventual prejuízo em um local com alarme monitorado é 90% menor do que lugares que não têm a ferramenta. Para o especialista, a solução é a forma mais rápida e confiável de descobrir que um local foi invadido ou que alguém precisa de ajuda. “Isso permite tomar providências rapidamente, evitando prejuízos e protegendo as pessoas”, finaliza Santos. 

Sobre a ADT

A empresa ADT pertence à Johnson Controls, líder global em múltiplas indústrias e diversificadas tecnologias que serve a uma vasta gama de clientes em mais de 150 países. Nossos 117 mil colaboradores criam edifícios inteligentes, soluções eficientes de energia, infraestrutura integrada e sistemas de transportes de última geração que trabalham perfeitamente ajustados para viabilizar a proposta de comunidades e cidades inteligentes. Nosso compromisso com a sustentabilidade remonta às nossas origens, em 1885, com a invenção do primeiro termostato elétrico para ambientes. Estamos comprometidos com os bons resultados dos nossos clientes e criando valor para todos os nossos stakeholders, por meio do nosso foco estratégico em edifícios e plataformas de otimização de energia. Para informações adicionais, por favor, visite http://www.adt.com.br

Relacionados

Institutos de Tecnologia
Estudo inédito revela impactos socioeconômicos dos Institutos de Tecnologia

Compartilhe Siga no Google Notícias Estudo inédito revela impactos socioeconômicos dos Institutos de...

Cadastro Positivo
Cadastro Positivo pode aumentar a arrecadação de impostos estaduais no MS

Em vigor a partir de 9 de julho, novo Cadastro Positivo pode aumentar...