appgate, kryptus, lumu

Appgate: Uma em cada quatro instituições financeiras receberam ataques

Share:

Appgate – Uma em cada quatro instituições financeiras recebeu ao menos um ataque de spear-phishing no último ano

Dados são da Appgate, especializada em cibersegurança, que aponta o Zero Trust como única forma de lidar com o cenário de fraudes atual; veja 10 passos para adotar uma estratégia de sucesso

 

São Paulo, 18 de agosto de 2021 — Um quarto das instituições financeiras experimentou pelo menos um ataque de spear-phishing ou comprometimento de e-mail comercial entre 2019 e 2020. Nesses ataques, as credenciais do usuário foram comprometidas ou algum tipo de fraude foi cometida, além de resultar em perda de propriedade intelectual e danos físicos.

Os dados são da Appgate, empresa global especializada em segurança cibernética, que protege mais de 650 organizações governamentais e empresariais e já avaliou mais de 32 bilhões de conexões globais em busca de ameaças. De acordo com o levantamento da companhia, quase metade das instituições pesquisadas afirmam que têm visibilidade limitada ou nenhuma visibilidade na identificação do impacto dos ataques.

“À medida que os ataques cibernéticos aumentam e ficam cada vez mais sofisticados, as empresas adotam novas práticas e tecnologias de segurança para enfrentar um cenário crescente de ameaças digitais”, explica Marcos Tabajara, diretor da Appgate no Brasil. Segundo o executivo, o modelo Zero Trust, no qual as organizações nunca devem, por padrão, confiar em nada que esteja dentro ou fora de sua rede, ou perímetro, é a única forma eficaz de lidar com as crescentes ameaças.

A Appgate listou os 10 passos para se adotar uma estratégia Zero Trust. Confira abaixo:

  1. O usuário deve presumir que será violado: adotar a filosofia Zero Trust como paradigma de segurança cibernética é uma corrida de resistência, mas o primeiro passo começa com a suposição de que haverá violação.
  2. Ninguém é confiável: toda conexão, toda comunicação, todo acesso à rede é um ponto vulnerável que exige supervisão.
  3. Nenhum acesso deve ser fornecido sem verificação prévia: não basta validar credenciais. Para fornecer acesso à rede, é preciso validar que o usuário é quem diz ser, que seu contexto de conexão envolve um baixo risco e que ele estabelece uma postura de segurança.
  4. Não basear o acesso no IP: um acesso baseado em IP é um acesso estático, incapaz de compreender o contexto do usuário e seus riscos. É necessário basear o acesso em uma lógica dinâmica.
  5. Estabelecer os acessos de acordo com o contexto: o acesso do usuário com base em seu contexto permite entender a integridade da conexão e garantir o controle minucioso dos recursos que ele pode alcançar.
  6. Cuidar dos recursos locais e remotos: em um mundo com redes híbridas, a proteção dos recursos não pode depender de sua localização. É necessário garantir que os usuários possam acessá-los com segurança, independentemente de estarem no local ou em alguma instância remota.
  7. Autenticar, autorizar e depois se conectar: a lógica da segurança tradicional, de conectar primeiro e autenticar depois, compromete a integridade dos recursos e deixa as organizações expostas a invasores.
  8. Não alterar a rede e focar no usuário: não é necessário fazer uma renovação tecnológica, nem modificar a infraestrutura de rede para garantir o acesso seguro. O foco no usuário permite uma proteção ágil e minuciosa.
  9. Inspecionar os acessos dos usuários: ter rastreabilidade de acesso permite prevenir, detectar, responder e mitigar.
  10. Não conceder mais privilégios do que o necessário: um excesso de privilégios para os usuários implica uma superexposição desnecessária de recursos. O contexto atual exige reduzir a superfície de ataque para neutralizar os adversários.
VEJA TAMBÉM:  Rede óptica iluminada pela Padtec marca a chegada da Silica Networks

 

Sobre a Appgate

Appgate é uma empresa de acesso seguro que fornece soluções de segurança cibernética para pessoas, dispositivos e sistemas com base nos princípios de segurança Zero Trust. A Appgate atualiza os sistemas de TI para combater as ameaças cibernéticas de hoje e de amanhã. Por meio de um conjunto de produtos diferenciados de segurança híbridos e em nuvem, a Appgate permite que as empresas se protejam de maneira fácil e eficaz contra ameaças cibernéticas. A Appgate protege mais de 650 organizações governamentais e empresariais. Saiba mais em https://www.appgate.com/. Em 9 de fevereiro de 2021, a Appgate anunciou que celebrou um acordo de fusão definitivo com a Newtown Lane Marketing, Incorporated (OTC BB: NTWN), uma empresa de capital aberto. As partes esperam concluir a transação no terceiro trimestre de 2021, sujeita às condições habituais de fechamento, quando a Appgate se tornará uma empresa pública. Para obter mais informações, visite www.appgate.com/investor-relations.

 

Relacionados

Johnson Controls é reconhecida como uma das empresas mais éticas do mundo

São Paulo, 18 de abril –  A Johnson Controls é uma das quatro...

Padtec, Quod, ABCD
B3, a bolsa do Brasil, é nova mantenedora da ABCD

B3, a bolsa do Brasil, é nova mantenedora da Associação Brasileira de Crédito...