Boleto Bancário

Black Friday: como identificar e se proteger da fraude do boleto bancário

Share:

Riscos na Black Friday: como identificar e se proteger da fraude do boleto bancário

Recomendações são dos especialistas da Cyxtera

São Paulo, 18 de novembro de 2019: Consolidada como uma das datas mais importantes para o comércio do país, a Black Friday, no próximo dia 29, já se tornou uma tradição para os brasileiros interessados em promoções e descontos. No entanto, os consumidores devem tomar cuidado redobrado no período, já que o evento atrai uma série de fraudadores digitais que se aproveitam do momento para aplicar golpes. Entre os mais comuns, estão os que envolvem o boleto bancário, considerado prático e acessível, mas que pode trazer uma série de riscos. 

A fraude, que afeta tanto consumidores quanto lojistas, não para de crescer. De acordo com dados recentes, o número de reclamações relacionadas ao golpe aumentou 63% neste ano. 

Michael Lopez, VP e gerente-geral de Total Fraud Protection da Cyxtera, provedora líder de segurança digital, aponta que o usuário pode ser induzido ao erro de diversas formas: durante uma atualização de boletos dentro do site dos bancos ou loja, em que é levado a uma página exatamente igual à original, sendo falsa a segunda via do boleto solicitada, por exemplo. Outra maneira é entrar em contato com o fraudador por meio de sites falsos ou uma venda falsa, principalmente quando a compra é feita por via não oficiais.

“Além do risco de sites ou aplicativos, existe também o bolware, um vírus instalado no computador da vítima, que utiliza um programa malicioso, alterando os dados digitáveis na cobrança digital e endereçando o valor para a conta do falsário. Muitas pessoas só descobrem que foram vítimas do golpe do boleto quando são cobradas ou acionadas judicialmente pela empresa”, afirma o executivo. 

Como dicas para não cair na fraude do boleto bancário, os especialistas da Cyxtera recomendam o máximo cuidado no compartilhamento de dados pessoais e operações em sites de compras duvidosos, além de buscar sempre concluir a compra dentro das plataformas de marketplace. 

“É importante uma análise atenta ao valor do boleto bancário e se a numeração do código de barras corresponde – os primeiros números são iguais ao do banco e os últimos são o valor a ser pago. Sempre desconfie de erros de português ou formatação no documento, cobranças e boletos enviados por SMS, e-mail ou WhatsApp”, conclui Lopez. Ao cair no golpe, o consumidor deve registrar um boletim de ocorrência, levando todos os comprovantes de pagamento e entrar em contato com o banco ou empresa relacionada ao pagamento, para conseguir um reembolso.

Sobre a Cyxtera 

A Cyxtera Technologies combina uma presença global de mais de 50 datacenters de primeira classe com um portfólio moderno de ofertas de segurança e análise com recursos de nuvem e híbridos – fornecendo a mais de 3.500 empresas, agências governamentais e provedores de serviços uma plataforma de infraestrutura segura e resiliente a aplicativos e sistemas críticos. Para mais informações sobre a Cyxtera, visite http://www.cyxtera.com/.

Relacionados

Cinco falhas que as instituições cometem na proteção contra incêndios

São Paulo, 22 de abril de 2019 – O recente incêndio na Catedral...

Cinema Itinerante
PARAGOMINAS RECEBE CINEMA ITINERANTE GRATUITO

PARAGOMINAS RECEBE CINEMA ITINERANTE, UMA DIVERSÃO GRATUITA PARA TODAS AS IDADES Além do...