investimentos em sustentabilidade

Investimentos em sustentabilidade voltam aos níveis pré-pandemia, aponta JC

Share:

Investimentos em sustentabilidade voltaram aos níveis pré-pandemia, revela pesquisa da Johnson Controls

  • Devido à eletrificação, os investimentos em geração e armazenamento de energia cresceram fortemente com foco crescente na tecnologia de bombas de calor.
  • Reino Unido, França, Japão e Estados Unidos são os líderes mundiais no desenvolvimento de planos para aumentar o investimento em eficiência energética, energia renovável e tecnologia de edifícios inteligentes.
  • Mais organizações planejam investir em tecnologias de edifícios que permitam manter os ocupantes saudáveis ​​e seguros,custos e acesso à tecnologia ainda são uma barreira.

 

São Paulo, 10 de maio de 2022A Johnson Controls (NYSE: JCI), líder global em edificações inteligentes, saudáveis e sustentáveis, acaba de anunciar  os resultados da 15ª Pesquisa Anual de Indicadores de Eficiência Energética. Segundo o relatório, 62% das organizações pesquisadas esperam aumentar os investimentos em eficiência energética, energia renovável ou tecnologia de edifícios inteligentes em 2022, indicando um retorno aos níveis pré-pandemia.

O último relatório do Grupo Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas alertou que a transformação em escala global é urgentemente necessária para combater as mudanças climáticas. Entretanto, a Pesquisa de Indicadores de Eficiência Energética da Johnson Controls constatou que as organizações ainda enfrentam desafios no avanço de seus esforços de sustentabilidade em áreas-chave. Quase dois terços dos entrevistados afirmam que possuem dificuldades em escalar iniciativas de sustentabilidade em edifícios, regiões geográficas ou unidades de negócios.

“Diante dos desafios dos últimos dois anos, é encorajador ver que os proprietários e gestores de edifícios estão adotando investimentos que proporcionam a resiliência necessária para expandir seus negócios e atrair e reter os melhores talentos”, disse Katie McGinty, vice-presidente e diretora de Sustentabilidade e Assuntos Regulatórios na Johnson Controls. “Os danos causados por eventos naturais destrutivos,a ameaça sanitária causada pela pandemia e a insegurança estabelecida no abastecimento global de energia evidenciam a necessidade de agir para conter a demanda de energia, reduzindo ao mesmo tempo a pegada de carbono e descontaminando o ar. Esta  estratégia é fundamental para que as empresas não apenas sobrevivam, mas prosperem. Nossas tecnologias inovadoras de bombas de calor e nossa plataforma digital OpenBlue, juntamente com as ofertas Net Zero as a Service, são ferramentas que permitem aos líderes  ficar à frente dos desafios e oferecer novas oportunidades a seus negócios ou organizações.” 

VEJA TAMBÉM:  Quod lista cinco desafios do setor financeiro no combate às fraudes
O progresso global acelerou nos últimos cinco anos

A pesquisa revelou que o investimento planejado na geração ou armazenamento de energia cresceu significativamente em cinco anos, provavelmente em resposta à meta global de descarbonização e, como parte desse esforço, à eletrificação. Mais de um terço dos entrevistados planeja substituir os equipamentos de aquecimento de combustíveis fósseis pela tecnologia de bombas de calor no próximo ano, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. O armazenamento de energia térmica aumentou consideravelmente nos últimos cinco anos, de 27% para 42%. Mais da metade dos pesquisados implementou sistemas de armazenamento de energia elétrica no último ano. 

A pesquisa mostrou ainda que os Estados Unidos e a Europa continuam liderando o planejamento de edifícios verdes. A maioria dos entrevistados que já possuem certificação de edifício verde e desejam ter um edifício dano zero em termos de energia ou carbono nos próximos dez anos está nos Estados Unidos. A Europa teve o maior número de entrevistados que planejam obter a certificação de edifício verde e que estabeleceram metas públicas de redução de energia/carbono, com o Reino Unido liderando com 46% de metas estabelecidas.

Em comparação com os outros países, um número significativamente maior de entrevistados nos EUA planeja implementar medidas como melhorias nos sistemas de controle de edifícios, energia renovável no local e processos de gerenciamento de energia, como a ISO 50001. Dos países pesquisados, Reino Unido,  França e  Japão têm o maior número de entrevistados que esperam aumentar os investimentos em eficiência energética, energia renovável ou tecnologia de edifícios inteligentes no próximo ano. Ainda assim, para alcançar as metas globais de sustentabilidade e meio ambiente, o mundo deve trabalhar coletivamente para planejar um futuro com maior eficiência energética e investir hoje para as próximas gerações.

VEJA TAMBÉM:  Wabtec e Trópico aprovam SICA para o mercado de ferrovias
Barreiras para escalar os esforços de sustentabilidade

Embora a transformação em escala global seja necessária para corrigir o curso das mudanças climáticas, as organizações enfrentam barreiras para realizar iniciativas de sustentabilidade. Quase metade dos entrevistados afirmaram que sua principal barreira para fazer melhorias energéticas e tecnológicas nos edifícios é a falta de recursos para financiar as melhorias (25%) ou a incerteza quanto ao retorno do investimento (23%).

Além disso, mais da metade dos entrevistados apontou a falta de tecnologia como um dos obstáculos aos esforços de escalonamento da sustentabilidade.

Globalmente, estas barreiras permaneceram praticamente as mesmas há cinco anos, ressaltando a oportunidade de catalisar ações aceleradas por meio de soluções inovadoras como o “Net Zero as a Service” da Johnson Controls, que permite a descarbonização sem capital inicial e com despesas operacionais reduzidas.

Organizações focadas no aproveitamento da tecnologia para manter os ocupantes do edifício saudáveis e seguros

A pandemia também levou as organizações a repensar suas decisões de investimento em tecnologia. A proteção da saúde e segurança dos ocupantes dos edifícios durante a pandemia de coronavírus foi o segundo fator mais significativo de investimentos em todo o mundo. Além disso, 65% dos entrevistados realizaram uma avaliação da qualidade do ar interior no ano passado.

Os entrevistados identificaram melhorias na saúde e no bem-estar dos ocupantes em geral e a melhoria da proteção e segurança como fatores importantes para a tomada de decisões. Durante os próximos 12 meses, quase 60% das organizações planejam investir em sistemas de segurança e proteção contra incêndio e em melhorias nos sistemas de segurança de seus edifícios. A longo prazo, mais de dois terços das organizações acreditam que a análise de dados e a segurança cibernética terão um impacto extremamente ou muito significativo na implementação de edifícios inteligentes nos próximos cinco anos.

VEJA TAMBÉM:  Johnson Controls apresenta soluções integradas na Hospitalar 2022

A pesquisa revelou que políticas pragmáticas desempenham um papel importante para o progresso das metas de eficiência energética. 85% e 72% dos entrevistados, respectivamente, relataram que benchmarking/certificações de desempenho e padrões para códigos energéticos são essenciais para melhorar os esforços de eficiência energética.  

A Pesquisa de Indicadores de Eficiência Energética da Johnson Controls coletou respostas de 1.000 participantes em todo o mundo entre novembro e dezembro de 2021.

Para saber mais sobre os resultados da pesquisa, visite: https://www.johnsoncontrols.com/2021EEI

A Johnson Controls continua oferecendo soluções e serviços com tecnologia e inovação de ponta por meio de sua oferta digital OpenBlue, em particular sua solução Net Zero Buildings. Para saber mais, visite: https://www.johnsoncontrols.com/openblue/net-zero-buildings.

 

Sobre a Johnson Controls

Na Johnson Controls (NYSE: JCI), transformamos os ambientes onde as pessoas vivem, trabalham, aprendem e se divertem. Como líder mundial em edificações inteligentes, saudáveis ​​e sustentáveis, nossa missão é reimaginar o desempenho das edificações para servir às pessoas, aos espaços e ao planeta.

Com uma história de mais de 135 anos de inovação, na Johnson Controls traçamos o projeto do futuro em setores como saúde, educação, data centers, aeroportos, estádios, manufatura e outros, por meio de nossa abrangente oferta digital OpenBlue. Com uma equipe global de 100.000 especialistas em mais de 150 países, a Johnson Controls oferece o maior portfólio mundial de tecnologia e software de construção, bem como soluções de serviço com algumas das marcas mais reconhecidas do setor. Para obter mais informações, visite www.johnsoncontrols.com/pt_br ou siga-nos no LinkedIn e no Facebook Johnson Controls América Latina.

Relacionados

Cadastro Positivo
Novo Cadastro Positivo pode injetar R$ 15 bilhões na economia do Amazonas

Válido a partir de 9 de julho, novo Cadastro Positivo pode injetar R$...

BATATAIS RECEBE CINEMA ITINERANTE

BATATAIS RECEBE CINEMA ITINERANTE, UMA PROPOSTA DE DIVERSÃO GRATUITA PARA TODAS AS IDADES...