Cadastro Positivo

Novo Cadastro Positivo pode injetar R$ 38 bilhões na economia do DF

Share:

Válido a partir de 9 de julho, novo Cadastro Positivo pode injetar R$ 38 bilhões na economia do Distrito Federal

Medida deve incluir cerca de 590 mil consumidores locais no mercado de crédito

Distrito Federal, 18 de junho de 2019: O novo modelo de Cadastro Positivo, que entra em vigor a partir do próximo dia 9 de julho, poderá injetar R$ 38 bilhões na economia do Distrito Federal e possibilitar acesso ao crédito para um contingente adicional de cerca de 590 mil consumidores, o que representa quase 20% da população total. Os números fazem parte de desdobramento, por estado, de estudo realizado pelo setor, a pedido da ANBC (Associação Nacional dos Bureaus de Crédito), que também concluiu que, no Brasil, o novo CP tem potencial de inserir até 22 milhões de consumidores no mercado de crédito, além de mais de R$ 1,1 trilhão na economia nacional.

De acordo com a pesquisa ampliada, o Distrito Federal, com 44,8% de inadimplentes, apresenta um índice superior à média brasileira, que é de 40,3%. E, a exemplo do que deve ocorrer no resto do país, o novo Cadastro Positivo tende a promover uma redução de até 45% na inadimplência do DF.

Isso tende a ocorrer porque o novo CP vai promover a inclusão automática de todos os consumidores, formar um histórico de pagamento de cada cidadão, seja de crédito recebido ou de serviços continuados (água, energia elétrica, gás e telefonia), e estabelecer uma nota de crédito com base neste histórico. Ou seja, o modelo valoriza os pagamentos realizados, os dados positivos – e não somente eventuais dívidas não pagas ou em atraso.

Números comparativos:

PORCENTAGEM DE INADIMPLÊNCIA

POPULAÇÃO
BENEFICIADA

INJEÇÃO NA

ECONOMIA

Centro-Oeste

40%

2,78 milhões

R$ 122 bilhões

DF

44,8%

587 mil

R$ 38 bilhões

Brasil

40,3%

22,1 milhões

R$ 1,1 trilhão

VEJA TAMBÉM:  Birôs de crédito esclarecem que procedimento para sair do Cadastro Positivo

“A adição de mais pessoas ao mercado de crédito, a ampliação do crédito para quem já está no mercado e a confiabilidade da nota de crédito como base para a concessão de crédito têm potencial de baixar os juros dos empréstimos e financiamentos”, observa Elias Sfeir, presidente da ANBC.  Ele acrescenta que os principais benefícios são sociais porque haverá uma redução da inadimplência pela prática de taxas de juros mais justas e porque o estímulo ao mercado de crédito é fundamental para estimular as economias locais e gerar empregos.

Outro ponto a se destacar em relação ao novo CP é a melhoria de crédito para as classes C, D e E. Segundo Sfeir, o cadastro positivo aumenta a nota de crédito para cerca de 60% desta população.

Sobre a ANBC

A Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento sustentável do crédito no Brasil. A entidade congrega os birôs de proteção ao crédito que atuam no território brasileiro e mantém relacionamento com associações internacionais para promover as melhores práticas do setor. A ANBC é membro da Associação de Fornecedores de Informação de Crédito ao Consumidor (ACCIS), entidade internacional que reúne 39 birôs de crédito e da Associação Latino Americana de Birôs de Crédito (ALACRED).

 

Relacionados

CPQD
CPQD celebra resultados de seu projeto de transformação cultural

CPQD celebra resultados de seu projeto de transformação cultural Campinas, 14 de novembro...

Cinema itinerante
MAUÁ RECEBE CINEMA ITINERANTE GRATUITO

MAUÁ RECEBE O CINEMA ITINERANTE, UMA PROPOSTA DE DIVERSÃO GRATUITA PARA TODAS AS IDADES...