varejo, tecnologia

Varejo: 3 oportunidades que a tecnologia pode proporcionar em momentos de alto volume de vendas

Share:

Varejo: três oportunidades que a tecnologia pode proporcionar em momentos de alto volume de vendas

Segundo a Sensormatic Solutions, produtos devidamente expostos e protegidos podem aumentar as vendas em até de 40% e reduzir perdas em até 90%

O comércio varejista brasileiro deve contratar neste fim de ano o maior número de funcionários temporários desde 2013, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A entidade prevê que o comércio movimente R$ 35,9 bilhões em vendas no Natal – um aumento de 4,8% em relação ao mesmo período no ano passado. O segmento de vestuário, acessórios e calçados deve registrar o maior aumento nas vendas natalinas.

Com o aumento do fluxo de pessoas nas lojas, especialmente em períodos sazonais, os varejistas são obrigados a redobrar a atenção quanto a oportunidades de venda que podem influenciar o resultado de suas operações. A Sensormatic Solutions, fornecedora de tecnologia para o varejo, alerta que, para aproveitar o movimento, os varejistas devem investir em tecnologia e inovação de processos. “Soluções tecnológicas possibilitam ganhos que podem exceder as expectativas de varejistas e clientes”, destaca Gilberto Quintanilha Júnior, gerente de Prevenção de Perdas da empresa.

Para o executivo, é preciso adotar novas técnicas de gestão para garantir melhor experiência de compra ao consumidor e maximizar os ganhos do negócio. “Com base nas queixas recorrentes dos clientes, é possível identificar a necessidade de novas tecnologias e se preparar para essas datas”, afirma.

A Sensormatic Solutions listou as principais reclamações feitas por consumidores e identificou como as soluções tecnológicas – que são tendências para o varejo – podem melhorar a experiência de compra do cliente e impulsionar os resultados.

1) Produto não disponível

Falta de produtos em gôndolas e prateleiras é uma constante reclamação de consumidores, pois influi diretamente na experiência de compra. Para evitar essa situação,os varejistas podem recorrer a tecnologias que detectam se uma gôndola está vazia, por exemplo. Para produtos que ocupam grandes espaços em prateleiras, é possível utilizar sistemas de CFTV que analisam alterações nas imagens e detectam se um objeto foi removido de sua posição – como o Video Analytics – ou se o volume de estoque está dentro do normal a ser ofertado ao cliente. Para produtos menores recomenda-se a utilização de prateleiras com pushers, que detectam a remoção dos itens e indicam automaticamente a necessidade de reposição. Para ambas as situações, a Sensormatic oferece a solução Click Retail, que permite a gestão fácil e rápida da ruptura por meio de um único painel, possibilitando o monitoramento de todas as lojas e a ação imediata do repositor.

2) Filas nos caixas

De acordo com uma pesquisa realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP), para 90% dos varejistas, as filas dificultam as vendas e, para 78% dos pesquisados, a espera pode levar o consumidor a desistir da aquisição. Segundo a Sensormatic, soluções baseadas em vídeo permitem análise e tomada de decisão automáticas por meio de estatísticas da fila ou de cada comprador, possibilitando que o varejista compreenda o cliente e os pontos de maior movimentação e concentração da loja. Além disso, o Checkout-Expert permite o monitoramento da operação de todos os caixas de uma só vez por meio da análise de situações, gerando mais assertividade e produtividade ao varejista.

3) Exposição das mercadorias

Por terem alto valor agregado ou histórico de altas perdas por furto, é comum identificar itens confinados em armários trancados e, em alguns casos, em locais inacessíveis ao cliente, ocasionando redução do potencial de venda e impacto negativo na experiência de compra. Tecnologias como etiquetas antifurto, circuito de câmeras (CFTV) e cadeados eletrônicos entram em cena para evitar que a exposição destes itens e sua taxa de conversão sejam afetadas. Segundo Quintanilha, com os produtos expostos e devidamente protegidos com etiquetas antifurto, é possível aumentar as vendas em até 40% e reduzir perdas em até 90%.

Para o executivo, explorar o ponto de venda com o objetivo de entender e descobrir as necessidades dos consumidores é papel de todo varejista e gera impacto direto em sua rentabilidade. “O uso de tecnologia é o diferencial que faz com que o estabelecimento garanta uma melhor experiência de compra ao consumidor e, consequentemente, uma melhor taxa de conversão a sua operação”, finaliza.

Relacionados

cinema itinerante
ITÁPOLIS RECEBE CINEMA ITINERANTE

ITÁPOLIS RECEBE CINEMA ITINERANTE,UMA PROPOSTA DE DIVERSÃO GRATUITA PARA TODAS AS IDADES Além...

mobile 360 latin america
O FUTURO DO 5G MOBILE 360 LATIN AMERICA

O futuro do 5G na região foi o grande tema do Mobile 360...