Cadastro Positivo

Cadastro Positivo pode aumentar em mais de R$ 4,1bi a arrecadação de impostos no ES

Share:

Em vigor a partir de 9 de julho, novo Cadastro Positivo pode aumentar em mais de R$ 4,1 bilhões a arrecadação de impostos estaduais no Espírito Santo

Sem alteração de alíquotas, valor recolhido com IPVA e ICMS deve ter um aumento médio anual de 3,6% em todo o território nacional 

Espírito Santo, 26 de junho de 2019 – Válido a partir de 9 de julho, o Cadastro Positivo deve gerar expressivo aumento na arrecadação de impostos estaduais. Segundo estudo da ANBC (Associação Nacional dos Bureaus de Crédito), a expansão do crédito, um dos principais benefícios do novo CP, favorecerá a economia dos estados por meio do aumento do valor recebido com IPVA e ICMS. No Espírito Santo, que hoje arrecada com os impostos em torno de R$ 112,9 bilhões, a introdução do Cadastro Positivo com inclusão automática de consumidores elevará essa cifra, a médio prazo, para R$ 117 bilhões, ou cerca de R$ 4,1 bilhões a mais.

Atualmente, sem o Cadastro Positivo, a soma de recolhimento desses tributos pelos estados brasileiros é de R$ 5,587 trilhões. Com o novo modelo, a previsão é que esse montante alcance R$ 5,793 trilhões em cerca de dez anos, totalizando uma expansão de R$ 205,7 bilhões no período, devido ao estímulo da atividade econômica.

O levantamento aponta ainda que o novo modelo de Cadastro Positivo poderá injetar R$ 20 bilhões na economia do Espírito Santo, possibilitar acesso ao crédito para um contingente adicional de 316 mil consumidores e reduzir em 45% a inadimplência no Estado.

Elias Sfeir, presidente da ANBC, afirma: “As unidades da federação dependem vitalmente da arrecadação do IPVA e ICMS para investir em programas sociais, principalmente em saúde e educação, e o novo modelo de Cadastro Positivo pode ser a solução para arrecadar mais sem aumentar impostos.”

Entre os principais benefícios sociais do novo Cadastro Positivo, Sfeir destaca o crédito mais acessível e barato por meio da nota de crédito, com potencial para reduzir em 45% a inadimplência, que hoje atinge cerca de 60 milhões de brasileiros, o que equivale a 40% da população economicamente ativa. A iniciativa tem ainda potencial para gerar mais empregos e renda para os cidadãos, tanto pela expansão de R$ 790 bilhões no crédito às empresas, principalmente às MPEs, como pela possibilidade de aumentar o PIB anual em 0.54% a.a. e assim injetar a médio prazo até R$ 1,1 trilhão na economia.

Sobre a ANBC

A Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento sustentável do crédito no Brasil. A entidade congrega os birôs de proteção ao crédito que atuam no território brasileiro e mantém relacionamento com associações internacionais para promover as melhores práticas do setor. A ANBC é membro da Associação de Fornecedores de Informação de Crédito ao Consumidor (ACCIS), entidade internacional que reúne 39 birôs de crédito e da Associação Latino Americana de Birôs de Crédito (ALACRED).

 

Relacionados

Norte
Com 4,9 mi de inadimplentes, Norte tem os jovens menos endividados do país

Com 4,9 milhões de inadimplentes, Região Norte tem os jovens menos endividados do...

Cadastro Positivo
Novo Cadastro Positivo pode injetar R$ 29 bilhões na economia do CE

Válido a partir de 9 de julho, novo Cadastro Positivo pode injetar R$...