abcd

Covid-19 – 5 dicas das fintechs de crédito para PMEs

Share:

5 dicas das fintechs de crédito para PMEs atravessarem a nova onda de infecções por Covid-19

Segmento enfrenta desafios em meio às medidas que restringem funcionamento dos estabelecimento e que impactam diretamente no faturamento

 

São Paulo, 20 de abril de 2021: Grandes responsáveis pela criação de empregos no Brasil, as micro e pequenas empresas responderam por 68,5% das vagas abertas no país em fevereiro. De acordo com levantamento do Sebrae com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério da Economia, o índice corresponde a pouco mais de 275 mil postos de trabalho, mais do que o dobro das oportunidades geradas pelas companhias de médio e grande porte, que ficaram em 101,8 mil. 

No entanto, com o novo período de restrições causadas pelo novo pico de casos de covid-19, os pequenos negócios assistem à queda do faturamento e acendem o alerta para demissões e falências. Não por acaso, a confiança dos empreendedores despencou em março, atingindo índices iguais aos da crise de 2014, segundo dados do estudo Sondagem Econômica MPE, realizado pelo Sebrae em parceria com a FGV. 

Nesse cenário, os micro e pequenos empresários, que tendem a enfrentar mais obstáculos para obter crédito, podem tirar proveito de um mercado mais amplo de opções e buscar alternativas para um crédito mais barato e mais afinado às suas necessidades, aponta Rafael Pereira, presidente da Associação Brasileira de Crédito Digital – ABCD

“Uma dica interessante para este momento é pesquisar produtos e serviços com condições mais vantajosas para os pequenos negócios. As fintechs de crédito, por exemplo, oferecem linhas de crédito diferenciadas, como capital de giro sem garantia reais e empréstimo com garantia de imóvel”, detalha Pereira, que lista mais algumas sugestões para enfrentar essa fase. 

  1. Buscar melhores opções de crédito: a combinação de digitalização e inovação potencializadas na pandemia criou novos produtos e serviços que movimentam o mercado de crédito, com uma série de opções em condições especiais para os pequenos empreendedores. As fintechs de crédito oferecem modalidades como crédito com garantia de imóvel ou veículo e capital de giro sem garantias reais. Para além disso, fazem uma análise de crédito que enxerga os clientes de forma diferente, graças a uma análise mais individualizada de cada perfil, o que tende a facilitar o acesso dos pequenos empresários aos recursos. 
  2. Potencializar a gestão financeira: como a imprevisibilidade tornou-se a ordem do dia, é importante estar atento às contas em aberto, datas de pagamentos, o quanto de juros está embutido nos débitos e ainda imaginar diferentes cenários para evitar   surpresas desagradáveis no futuro. 
  3. Renegociar: o diálogo aberto e direto com fornecedores pode ser imprescindível para ajustar as contas, manter e até fortalecer as relações comerciais.
  4. Aumentar a presença digital: em tempos de isolamento social e restrições de abertura dos estabelecimentos, estar presente digitalmente é primordial. Se antes posts e contatos via rede social bastavam, hoje vale investir em uma comunicação mais próxima com o cliente, estreitando o relacionamento para solidificar o propósito da empresa.
  5. Gerenciar o estresse: com mais de um ano de duração, a pandemia segue criando um ambiente de incertezas. No entanto, é preciso ficar atento para que o estresse não acabe resultando em problemas de saúde e ansiedade, que vão complicar ainda mais o cenário. Apostar no autoconhecimento e em uma rotina voltada ao bem-estar, com momentos dedicados exclusivamente ao descanso e ao lazer, podem fazer a diferença no gerenciamento dos negócios. 
VEJA TAMBÉM:  5 dicas das fintechs de crédito para atravessar a crise causada pela pandemia

Na avaliação do presidente da ABCD, levando em consideração esses cuidados, as PMEs podem atravessar esse período, ainda de incertezas, com mais tranquilidade. 

 

Sobre a ABCD

A ABCD (Associação Brasileira de Crédito Digital) é uma associação sem fins lucrativos de âmbito nacional formada por fintechs que oferecem produtos e serviços financeiros. Em franco crescimento no Brasil e no mundo, as fintechs estão mudando a dinâmica do mercado de crédito. São três os objetivos principais da ABCD: busca de maior eficiência no ciclo de crédito, fomento de iniciativas que propiciem o desenvolvimento do mercado de crédito digital no qual as fintechs associadas atuam e criação de relacionamento institucional consistente com os reguladores e demais agentes do ecossistema do crédito.

Relacionados

Cadastro Positivo
Novo Cadastro Positivo pode injetar R$ 41 bilhões na economia de Goiás

Válido a partir de 9 de julho, novo Cadastro Positivo pode injetar R$...

CPQD
Transformação digital do agronegócio é o foco de evento promovido pelo CPQD

Transformação digital do agronegócio é o foco de evento promovido pelo CPQD Campinas,...