Greener Summit 2023

Oportunidades de investimentos marcam debates do Greener Summit 2023

Share:

Abertura de mercado, cenário regulatório e oportunidades de investimentos marcam debates do Greener Summit 2023

Encontro do setor solar foi realizado na Amcham Brasil, em São Paulo

 

São Paulo, 25 de maio de 2023 – Mais uma vez os principais players da cadeia solar se reuniram em São Paulo para debater as últimas tendências, desafios e oportunidades do setor. O Greener Summit 2023 levou ao público presente, nos dias 16 e 17, a visão e a análise de líderes e especialistas do mercado sobre as melhores práticas e estratégias de investimento e implementação de empreendimentos solares. A seguir, alguns destaques da quinta edição do evento promovido pela Greener.

Conjuntura, desafios e oportunidades

Em um cenário de provável incremento de 26 GWm na demanda por energia ao longo dos próximos 10 anos, onde grande parte dessa demanda deverá ser suprida por fontes renováveis, a geração solar ganha um indiscutível protagonismo. Na avaliação de Marcio Takata, CEO da Greener, 2023 consolida o início dessa grande transformação, com mudanças regulatórias, tributárias e de abertura do mercado influenciando a velocidade dos investimentos no país.Começamos a experimentar uma aceleração bastante significativa em 2021 da implementação de grandes projetos solares, sobretudo no ano passado.” “Saímos da casa dos 700/800 MW instalados ao ano em 2018 e 2019 para um patamar de 2.5 GW em 2022. Deveremos ver um significativo incremento destes volumes para 2024 e 2025”, disse na abertura do evento.

Ainda segundo o especialista, o mercado de grandes usinas solares centralizadas, apesar do cenário desafiador, tende a praticamente dobrar neste ano, graças ao grande volume de empreendimentos que deverão entrar em operação. “Estamos monitorando todas as oportunidades e desafios para a cadeia produtiva em relação ao volume de contratos que estão sendo fechados, o que nos traz uma indicação muito forte de ampliação desse volume também em 2024 e 2025”. Takata também ressaltou o avanço na demanda de equipamentos no país, que no último ano teve crescimento em torno de 70% em relação aos 10 GW alcançados em 2021.

VEJA TAMBÉM:  Energia solar remota deve girar mais de R$ 15 bi em investimentos até 2024

Empreendimentos em um contexto de grandes transformações

As atuais mudanças regulatórias e o cenário de preços estão alterando a dinâmica do mercado de grandes usinas centralizadas e de Geração Distribuída Remota. Para Ricardo Costa, presidente da GD Solar, as empresas de energia ainda estarão em processo de transição regulatória entre os próximos cinco e dez anos. “O que podemos falar sobre o efeito regulatório neste cenário é que as empresas precisam agregar serviços ao fornecimento de energia, adicionando valor a algo que antes era apenas uma commodity pura de energia. Quando você tem um mercado de preços com alta volatilidade, mercado livre, com tendências de subida de preço regulado de concessionária com margens altas, você não busca agregar mais valor porque o próprio produto já tem valor. Agora vamos começar a viver esse momento, com margens e valor de energia associada a geração mais apertados e o mercado muito mais atrelado a uma expansão de consumo”.

Conexão à rede e tendências regulatórias

A ampliação da disponibilidade de acesso à rede de transmissão tem sido um dos principais desafios do setor, com a dependência da conectividade cada vez mais crítica, principalmente para o avanço das energias renováveis. No Brasil, entre as principais alternativas para expandir o acesso destacam-se os leilões de transmissão. Além disso, o leilão de margem de escoamento, previsto para este ano, vem sendo apontado como um caminho viável para auxiliar a injeção dessa geração na rede. 

De acordo com Carlos Dornellas, Diretor Técnico e Regulatório da ABSOLAR, é necessário diminuir a fila de projetos, mas que ainda há ajustes a serem feitos. “Precisamos buscar uma solução para os empreendimentos mais viáveis, com projeção de uma rede adequada para conexão em 2027”, observa o executivo.

VEJA TAMBÉM:  Inovação tecnológica dá o tom ao Furukawa Summit 2019

“Vivemos um momento desafiador do mercado, com uma aceleração da cadeia e instalações a curto prazo, pautada em fatores como custos financeiros, de capital e CAPEX, juntamente com os preços de energia que influenciarão fortemente a demanda. Os empreendedores e investidores devem estar preparados para atender com eficiência esse importante volume de projetos que deverá entrar em operação nos próximos cinco anos”, ressalta Marcio Takata, da Greener.

Para quem não pode comparecer ao Greener Summit 2023, a palestra de abertura do evento  já está disponível online. Acesse gratuitamente em:

https://greener.greener.com.br/g-summit-23-palestra-de-abetura

 

Sobre a Greener
Fundada em 2007, a Greener é uma empresa de assessoria e inteligência de dados especializada no setor de energia solar fotovoltaica, apoiando empreendedores e investidores na busca das melhores estratégias para potencializar oportunidades e resultados, contribuindo assim para o processo de transição energética. A Greener assessora as empresas no desenvolvimento de empreendimentos fotovoltaicos oferecendo consultoria estratégica, pesquisas de mercado, auditoria de projetos e empresas, otimização de investimentos, certificação de projetos e empresas, assessoria técnica, financeira e regulatória, além de realizar palestras e eventos para o setor.

Relacionados

Casas de veraneio estão 15% mais vulneráveis em períodos de menor movimento

ADT – Casas de veraneio estão 15% mais vulneráveis em períodos de menor...

Furukawa apresenta solução óptica para industria em evento de bioenergia

Compartilhe Siga no Google Notícias Furukawa apresenta solução óptica para ambientes industriais em...